sexta-feira, 3 de abril de 2009

O RITMO DA NOITE






RITMO DA NOITE


È noite, o ritmo da cidade pára.
É noite, a noite chama.
É o som surdo da noite que chama.

Aquele som.
Aquela atmosfera.
Aquela luz.
Não se pode resistir.

O coração acelera o ritmo.
Ouvem-se passos.
O coração quase pára.
Quando vê quem chega.

Abraços, beijos, carícias.
A alegria do encontro.
Depois tudo acalma.
O som da noite,
Regressa surdo como sempre

È noite, a natureza está mais perto.
È noite, sente-se paz, amor, solidão.
Encontramo-nos á nós próprios

Ela fugiu-lhe, e os pensamentos mudam.
O medo invade-o.
O terror penetra-o, a esperança morre.
E ele pensa que,
O sol não mais nascerá.


18/01/1984
Enviar um comentário