sábado, 14 de agosto de 2010

ADORAVA TER-TE COMIGO

ADORAVA TER-TE COMIGO




Chocamos os nossos destinos.
Local onde reina o sol.
Aguas banhando-nos.
Um dia , talvez
Diamante negro
Iremos descobrir-nos
Amar-nos naturalmente



Cabelos negros.
Laço nos cabelos
Ar de menina
Uma pele macia
Dum longo bronzeado
Impecável, adorável.
Adivinhas nos teus olhos



Caio nos teus olhos.
Ligo o meu olhar no teu
Ardente, rebelde.
Um beijo desejado
Destinos, desatinos
Indomáveis desejos
Areia salgada, beijos.



Colhe-se muito
Lanças-me no espaço
Atiras-me o teu olhar
União especial, doce
Dás o que tens de melhor
Ilha negra
Atira-te por mim dentro



Conheço o teu nome
Louco por te ver
Amor á primeira vista, simples
Ultrapassando todos
Desolado de tudo
Iríamos longe
A um local desconhecido



Cobre-me nos teus olhos
Lembras-te de mim
Acolhi a tua figura
Um dia nos veremos
Dolente por esse dia
Impactos, suspiros, palavras
Adorava ter-te comigo


30/07/1985

quinta-feira, 10 de junho de 2010

CONCLUSÕES NA NOITE



A cidade está iluminada
A chuva faz companhia
Um carro passa.
Pessoas correm, molham-se.



Encontro o calor da noite
Imaginado, em alguém querido
Sonha-se com carícias, beijos
Sentado nos bancos de uma avenida.



Tu és miúda, impecável, bonita
E quero que sejas
A minha miúda esta noite.



A chuva caí, mas na mesma
Procuro o calor.
O frio aperta
Anda-se para aquecer.



Concluo que ainda penso em ti
O que posso fazer é pouco
Concluo que ainda te quero
Sem eu te querer.



Cruzes no meu caminho
Tornados, tempestades
O vento empurra-me
Empurra-me para ti



Encosto o meu braço ao teu corpo
De novo aquela sensação
Aquele corpo leve, sedoso
Nenhum de nós quer ser o primeiro



A noite continua molhada
As pessoas regressam a casa
A rua fica deserta
Acho que vou fazer o mesmo


Paulo Ramoa
Novembro 1985

domingo, 23 de maio de 2010

ONDE ESCONDES O TEU AMOR

Onde escondes o teu amor.
Deves saber fugir á verdade.
Os teus olhos são misteriosos
Nunca te vi a olhar-me nos meus.


Desejos de Primavera.
Desejo de te ter nos meus braços
O meu amor não o consigo esconder.
Os meus olhos não te enganam.


Percorremos caminhos separados.
Por vezes magoas-me com situações.
Por vezes seduzes-me com atentados.
Autênticos atentados de beleza.


Prosseguimos o caminho separados,
As nossas vidas afastam-se
Um dia ainda vou descobrir.
Onde é que escondes o teu amor.



03/05/1987

terça-feira, 23 de março de 2010

Quando dei por mim

                                       
Quando dei por mim.
Estava sentado……
A olhar……………
A tua face, o teu corpo.



Quando dei por mim,
Já estavas longe.
Parado…………….
Vi-te fugir.



Quando dei por mim.
Amava-te loucamente.
Esperava………….
Um regresso, uma esperança.



Quando dei por mim.
Não te vi.
Luto……………….
Para compreender.



16/09/1985

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Se Eu Pudesse...





Se eu pudesse….sempre

Olhar para os teus olhos,
Ler o que existe dentro deles.
Tentar perceber o seu brilho
Que a mim me confundem.

Sabes, …. eu adoro os teus olhos.



Se eu pudesse….sempre

Passar a mão pelos teus cabelos,
Extrair deles, toda a sua luz
E sonhar com um por do sol radioso
Que a mim me põe feliz

Sabes….eu adoro os teus cabelos


Se eu pudesse….sempre

Entrar pelo teu sorriso
Ver nele todo o teu amor
E lentamente sentir o seu sabor.
Que me deixa apaixonado

Sabes… eu adoro o teu sorriso.



Se eu pudesse….sempre

Pegar nas tuas mãos
Acariciá-las levemente
Desejar conhecer o teu mundo
Que a mim me excita

Sabes….eu adoro as tuas mãos


Se eu pudesse….sempre

Sentir os teus lábios
Junto aos meus
E no final, naturalmente.
Ao mesmo tempo dizermos

Sabes…..eu amo-te

14/02/94

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Rainha da Solidão






Deixa-me entrar, no teu reinado.
Deixa-me entrar no teu coração.


Nos teus segredos, deixa-me entrar.
Na tua solidão, deixa-me entrar


Nos teus olhos, deixa-me olhar.
Os teus cabelos, deixa-me afagar.


Na tua solidão deixa-me entrar.
No teu reino deixa-me entrar.


Eu o quero conquistar.
Rainha da solidão



18/02/1984

domingo, 10 de janeiro de 2010

Estava Capaz









Estava Capaz


Estava capaz de fazer loucuras contigo.
Arrasar o tempo, inverter as vontades.
Olhar-te, tocar-te, inventar-te.
Colher toda a tua inocência, provocá-la.
Levar-te a onde nunca poderás imaginar.
Extrair de ti todo um sentimento.
Fazer com que sintas a minha alma.
E depois arrastar-te pelos meus sonhos.


Estava capaz de te amarrar por pensamentos.
Experimentar o teu coração, tentar o teu corpo.
Adorar-te, beijar-te, sonhar-te.
Soltar palavras pela escuridão.
Deixá-las circular, apoderarem-se de ti.
Falar-te dos ventos, das chuvas, dos tempos.
Escolher os momentos, viver os instantes.
E depois, deixar o ar apoderar-se de mim



Maio 1991